palmeiras_flamengo

Hoje Pal x Fla: Cinco atalhos para palmeirenses e rubro-negros acreditarem na vitória

Share Button

palmeiras_flamengo Mesmo ainda a 14 rodadas do fim do Campeonato Brasileiro, a partida entre Palmeiras e Flamengo tem cara de final. Além da diferença de apenas um ponto do líder ao segundo colocado – o Verdão tem 47, e o Rubro-Negro, 46 -, os times fazem campanha segura nos últimos jogos e chegam em pé de igualdade para duelar.

Nesta disputa parelha, Cuca e Zé Ricardo certamente já têm consigo pontos fracos e fortes de seu respectivo adversário.

A reportagem do GloboEsporte.com não dispõe de treinadores, mas elegeu atalhos entre virtudes e deficiências que podem levar os times à vitória. A bola rola às 21h45, na arena do Palmeiras, que receberá apenas torcedores do time mandante – a não ser que rubro-negros assistam ao duelo disfarçadamente.

Em boa fase, os palmeirenses não são derrotados no torneio há sete partidas (a invencibilidade, considerando a Copa do Brasil, é de oito jogos). Com 47 pontos em 24 jogos, o time do técnico Cuca terminou a rodada na liderança 15 vezes e chega empolgado. Após o empate sem gols contra o Grêmio, o Verdão tenta aproveitar o confronto direto para ampliar a vantagem na primeira colocação.

Carregado no colo por sua torcida no embarque rumo a São Paulo na terça-feira, o Flamengo venceu seus últimos quatro jogos pelo Brasileirão. Lidera o returno da competição ao lado do Botafogo e só foi derrotado uma vez, pelo Sport, na 20ª rodada. Soma-se a isso o fato de a equipe de Zé Ricardo ser o melhor visitante do campeonato, com 20 pontos conquistados em 36 possíveis (seis vitórias, dois empates e quatro derrotas).

Informações do jogo:
Palmeiras x Flamengo

Local: Arena do Palmeiras, em São Paulo
Horário: 21h45 (de Brasília)
Arbitragem: André Luiz de Freitas Castro, auxiliado por Fabrício Vilarinho da Silva e Cristhian Passos Sorence, todos de GO
Provável escalação do Palmeiras: Jailson; Jean, Mina, Vitor Hugo e Zé Roberto; Gabriel, Tchê Tchê e Moisés (Cleiton Xavier); Dudu, Róger Guedes e Lucas Barrios (Gabriel Jesus).
Provável escalação do Flamengo: Alex Muralha; Pará, Réver, Rafael Vaz e Jorge; Márcio Araújo, Willian Arão e Diego; Everton, Gabriel e Leandro Damião.
Transmissão: TV Globo para todo o Brasil, menos SP (com Luís Roberto, Júnior e Arnaldo Cezar Coelho) e Premiere (com Milton Leite e Belletti)
Tempo Real: GloboEsporte.com, a partir de 19h30

MAPA DA MINA DO PALMEIRAS:
LANÇAMENTOS DE RAFAEL VAZ;
Em bom momento no combate, Rafael Vaz tem sido um pilar defensivo rubro-negro. Em contrapartida, o fato de ser bem dotado tecnicamente joga contra si em determinados momentos. Abusa dos lançamentos em profundidade, o que pode dar ao Palmeiras a chance de ligar um contra-ataque com os velozes Dudu e Róger Guedes. Se Vaz é o líder de desarmes do Flamengo, com 110 no total, ele também é quem mais erra passes na equipe (91).

LATERAIS CONTIDOS
Dois responsáveis pelo crescimento do Flamengo no Brasileiro são os laterais Pará e Jorge. O primeiro tem o hábito de passar em velocidade e fazer boas triangulações com Everton e Diego. Lidera o quesito assistências, com quatro. Jorge, com sua cadência e dribles curtos, geralmente deixa os pontas em boas condições de chegar à linha de fundo. Mas as constantes investidas dos velozes Dudu e Roger farão a dupla ficar mais conversadora em relação aos avanços. Jorge, inclusive, vacilou na rodada passada contra o Vitória ao dar condições para Zé Love abrir o placar em partida que terminou em 2 a 1 para o Fla.

E, diferentemente do Flamengo, sétimo time que mais erra passes na competição (781), o Palmeiras não entrega facilmente a bola de volta – é o sexto que menos erra.

PRESSÃO EM MÁRCIO ARAÚJO
Velho conhecido da torcida palmeirense, Márcio Araújo é outra figura importante do Flamengo no Brasileiro por ser dinâmico na marcação e surpreender meias adversários com roubadas de bola em que chega correndo por trás dos rivais. Seu ponto fraco é errar passes simples na saída de bola. No primeiro turno, por exemplo, Gabriel Jesus aproveitou erro bobo de César Martins, e a constante movimentação dos palmeirenses na marcação sob pressão pode fazer o volante rubro-negro errar à frente da defesa.

Quando é contra-atacado, Fla se aproxima demais e tem dificuldade de se rearmar ofensivamente.
Os pontas Everton, Gabriel, Fernandinho e Marcelo Cirino – os dois primeiros começam o jogo nesta quarta – têm papel fundamental na marcação. Os jogadores rubro-negros não concordam que jogam no 4-3-3, mas sim num 4-2-3-1.

Com o Flamengo sendo atacado, dois deles voltam para fechar uma linha de quatro, às vezes de cinco com Diego no combate. O time fica compacto, mas essa aproximação às vezes prejudica nos contra-ataques.

Sem o espaçamento, Diego fica com menos opções de fazer um lançamento em ponto futuro para estes pontas, e o toque para o lado acaba sendo a opção mais procurada. Se por um lado essa composição repele possíveis surpresas em alta velocidade, ao mesmo tempo ela facilita o controle da posse de bola.

FATOR DIEGO
Que Cuca vai colocar marcação forte em cima de Diego ninguém tem dúvidas, é elementar, mas o acréscimo de qualidade gerado pelo principal reforço do Flamengo permitiu o crescimento de outros atletas. Um dos melhores rubro-negros no primeiro semestre, Willian Arão teve queda de rendimento no fim do primeiro turno. A entrada de Diego deu mais liberdade a Arão, que voltou a virar bolas com qualidade e tentar passes em profundidade. Além disso, ele evoluiu defensivamente para permitir os avanços do astro. Pará é outro que tem se entendido com Diego. Depois da entrada do meia, deu três assistências, duas para o próprio Diego e outra para Fernandinho. Quando vê o lateral passando pela direita, o cérebro do time não hesita em passar a bola.

Vale destacar que, com Diego em campo, o Flamengo tem 100% de aproveitamento (quatro vitórias em mesmo número de jogos) e passou a finalizar mais de fora da área. Dito isso, é bom o Palmeiras ficar ligado no ex-santista e nos espaços que abrirá para companheiros menos marcados.

MAPA DA MINA DO FLAMENGO:
PELA ESQUERDA;
O Palmeiras tem uma das melhores defesas do campeonato com apenas 23 gols sofridos, mas também tem problemas atrás, principalmente pelo seu lado direito. Com Everton e Jorge – e uma possível entrada de Fernandinho no decorrer do jogo -, o Flamengo pode explorar os espaços deixados por Jean, volante improvisado na lateral desde o início do Brasileiro e que sobe com frequência ao ataque. Foi por este lado que a equipe paulista sofreu mais nos últimos jogos. Uma evidência da preocupação de Cuca com esta área do campo foi a entrada do volante de marcação Thiago Santos e o deslocamento de Gabriel para a lateral na partida do último domingo contra o Grêmio.

 ATENÇÃO ÀS BOLAS AÉREAS
Mina e Vitor Hugo compõem uma zaga com média de 1,91m de altura e têm ótima impulsão para ganhar pelo alto. Não é bom para o Flamengo insistir nas bolas aéreas com a bola rolando, já que Leandro Damião provavelmente ficará sozinho no meio dos defensores. Com a bola parada, no entanto, os zagueiros rubro-negros não ficam atrás – a média de altura da dupla é apenas 1 cm menor. Réver é quem deve ficar de olho em Mina nas bolas paradas adversárias (1,92 cm x 1,95 cm). Em cinco jogos pelo Palmeiras, o colombiano marcou duas vezes, e em jogos importantes: os clássicos contra Santos e São Paulo, ambos na casa palmeirense.
MAIS PEGADA NO MEIO-CAMPO
Se o duelo desta quarta-feira opõe times que estão parecidos na classificação do Brasileiro, em uma estatística Flamengo e Palmeiras estão em extremos opostos. E isso é bom para o Rubro-Negro, que é a equipe que mais desarma na competição, com 714, e terá como rival o pior no mesmo quesito, com “apenas” 486. Se Márcio Araújo e Willian Arão – dois dos que mais roubam bola na competição, com 59 e 46 respectivamente -, além dos laterais, mantiverem a pegada, a vida dos atacantes palmeirenses não será nada fácil.

AUXÍLIO PARA DIEGO
O camisa 35 certamente terá o primeiro volante adversário, seja ele Gabriel ou Thiago Santos, como sombra na Arena Palmeiras. É aí que Arão, Gabriel e Everton precisarão fazer diferente em relação ao que aconteceu no primeiro tempo contra o Vitória, para buscar maior aproximação ao meia rubro-negro.

OLHO EM DUDU
O camisa 7 é a arma ofensiva mais perigosa do Palmeiras. Versátil, pode cair pelos lados e até mesmo tornar-se armador. Dudu é o líder isolado de assistências do Brasileiro, com nove passes para gol. Além disso, ainda é o jogador mais solidário, ou seja, quem mais deixa os companheiros com chance real para marcar.

E as estatísticas não ficam por aí: o atacante é o quarto jogador que mais sofre faltas – e daí podem surgir as oportunidades na boa bola aérea palmeirense. É bom destacar, porém, que o Flamengo é o time menos faltoso da competição, com 286 cometidas.

 

 

Por: Fred Gomes e Thiago Benevenutte – Rio e SP.
Esporteenoticia.com

Commentarios


Este Post Foi Útil:

0 votes, 0 avg. rating

wellington gomes - .

Share Button

Jornalista

Commentarios