sexta-feira, maio 24, 2024
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
InícioColunistasPCC financia treinamento de guerrilha na selva boliviana para resgatar Marcola enquanto...

PCC financia treinamento de guerrilha na selva boliviana para resgatar Marcola enquanto estava no presídio federal de Porto Velho (RO)

A cúpula da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) injeta milhões de reais e aposta alto na preparação dos criminosos convocados para executarem um possível plano de resgate a Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, líder máximo da organização. Parte do treinamento dos “soldados” é feita fora do país e conta com técnicas de guerrilha.

A coluna Na Mira obteve informações exclusivas sobre a dinâmica da preparação dos faccionados selecionados criteriosamente pela chefia da quadrilha. O treinamento bélico ocorreria na selva boliviana, com guerrilheiros integrantes de forças paramilitares. Alguns grupos formados por mercenários desertores das forças armadas bolivianas também dariam “aula” aos criminosos brasileiros.

Veja imagens da transferência de Marcola de Porto Velho para Brasília:

Fuga pela selva

Segundo o promotor de Justiça do Ministério Público do Estado de São Paulo (MPSP) Lincoln Gakiya — atuante no combate às facções criminosas no estado —, o ponto onde fica o presídio, próximo a uma selva, facilitaria o resgate do chefe da facção paulista. “Embora as unidades federais tenham praticamente a mesma forma de difusão e protocolos de segurança, o presídio é muito distante da capital, praticamente encravado na selva. A divisa com a Bolívia facilitaria uma possível fuga”, afirmou.

Gakiya relatou ter havido muita preocupação das autoridades federais com a execução de um plano de resgate e a transferência de Marcola para a Penitenciária Federal de Brasília. “A unidade em Brasília conta com uma muralha que reforça as cercanias da unidade e que nenhum outro presídio do país possui. Ela aguenta tiros de fuzil .50, choques de caminhão, caso o veículo seja jogado contra a proteção. Ainda há quatro torres blindadas usadas para vigilância. Acredito que é o presídio mais seguro do país”, observou.

A última remoção de Marcola para o presídio federal no DF, segundo o promotor, vai dificultar qualquer opção de resgate. Após a transferência, o ministro da Justiça, Flávio Dino, argumentou que “essa operação se fez necessária para garantir a segurança da sociedade”. O ex-ministro Justiça Anderson Torres, atualmente preso, havia determinado a saída de Marcola dos presídios da capital em março de 2022. Na ocasião, Ibaneis Rocha (MDB), governador afastado do DF, tinha intercedido pela transferência.

Polêmicas
Marcola foi transferido para o Presídio Federal de Brasília pela primeira vez em março de 2019, em uma chegada que gerou reações políticas no DF. Na época, Ibaneis ficou indignado e afirmou que era “inadmissível aceitar a instalação do crime organizado na capital da República”.

A Ordem dos Advogados do Brasil no DF (OAB-DF) também se manifestou contra, ainda em 2019. Após três anos de prisão na capital, e muitas ações de forças de segurança contra a instalação do PCC em Brasília, Marcola acabou sendo transferido para o presídio de Porto Velho (RO) em 2022.

Em agosto do ano passado, a Polícia Federal, com o apoio do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), deflagrou a Operação Anjos da Guarda, com o objetivo de desmantelar o plano de resgate de líderes do PCC presos nas penitenciárias federais de Brasília e Porto Velho. Entre os criminosos, constava Marcola.

 

Por: Carlos Carone – Mirelle Pinheiro/Metropoles
Esporteenoticia.com

 

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -
Google search engine

Most Popular

Recent Comments