segunda-feira, junho 3, 2024
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
InícioColunistasPescador rondoniense fisga no rio Madeira em Porto Velho (RO) o maior...

Pescador rondoniense fisga no rio Madeira em Porto Velho (RO) o maior peixe surubim lenha já registrado no Brasil, bate novo recorde e entra para a lista da BGFA

O pescador esportivo Fábio Baca entrou para a lista da “Brazilian Game Fish Association” (BGFA) ao pescar o maior peixe surubim lenha já registrado no Brasil. A pescaria recordista aconteceu no início do mês de maio de 2024 no rio Madeira em Porto Velho (RO).

A BGFA é uma entidade que realiza a criação de regras e critérios técnicos para homologação de recordes de peixes no Brasil, em duas modalidades e diversas categorias, desde que as espécies sejam capturadas por meio da prática da pesca esportiva.

   

O peixe da espécie “surubim lenha ou chicote” (Sorubimichthys planiceps) capturada por Fábio tem 1 metro e 8 centímetros. O animal foi catalogado pela BGFA como recorde brasileiro na categoria “absoluto masculino” pelo seu comprimento.

Fábio Baca, que é pescador esportivo há cerca de 30 anos, conta que geralmente utiliza iscas artificiais, mas no dia em que capturou o surubim recordista, usava uma “tuvira” (peixe de água doce). O pescador estava a bordo de um caiaque em um ponto de grande correnteza no rio Madeira.

   

“Os surubins gostam de regiões com bastante correnteza. Eu estava em um caiaque e em uma área de muita correnteza no rio Madeira. Quando vi o peixe, fiquei impressionado, pois para a espécie, esse tamanho é considerado muito grande”, explica.

De acordo com o pescador, cada espécie de peixe tem um limite de tamanho e o surubim chamou a atenção devido ao seu comprimento, que é o máximo que um peixe dessa espécie pode atingir.

   

Como é feita a medição do peixe?
Fábio Baca explica que para comprovar o recorde é necessário realizar a medição da espécie com uma régua fornecida pela BGFA em um local plano e medir o peixe vivo. Todos os momentos precisam ser filmados para comprovar a medição.

As partes medidas vão desde a boca do peixe até o meio do rabo (o restante da cauda não entra na medição). Depois disso, é necessário filmar também a soltura do peixe, pois, para ser homologado, o animal precisa ser devolvido ao habitat natural.

“Fiquei muito feliz em ter esse reconhecimento. Tenho outras espécies com as quais poderia bater recordes, mas como a medição exige um processo e eu pesco geralmente sozinho, às vezes não consigo medir. Não basta você pegar o peixe, você precisa medir da forma adequada”, conta.

   

Outros registros
No início do ano Fábio Baca conseguiu, pela quinta vez, uma façanha que muitos pescadores sonham: fisgar um pirarucu com mais de dois metros e 130 quilos. A pescaria aconteceu em Jaci-Paraná, distrito de Porto Velho.Mas, essa não foi a primeira pescaria de grandes emoções que Fábio participou. Em maio de 2023, uma “briga” com um pirarucu gigante foi responsável por uma vara de pescar quebrada, boca machucada e muito cansaço.

   

A pescaria esportiva é a paixão de Baca e ele intercala com a profissão de procurador federal em Rondônia. Natural do Espírito Santo, Fábio começou na pescar esportiva com o pai e há mais de 30 anos se aventura pelos rios de RO.

Os registros das pescarias são feitos em seu canal no Youtube, que surgiu como uma plataforma para registrar o hobby e cresceu até se tornar o maior canal de pesca do Brasil. Um de seus vídeos possui mais de 14 milhões de visualizações.

Por: G1/RO
Esporeenoticia.com 

   

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -
Google search engine

Most Popular