domingo, fevereiro 25, 2024
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
InícioColunistasTCU avalia a possibilidade de Ibaneis e Torres terem de pagar danos...

TCU avalia a possibilidade de Ibaneis e Torres terem de pagar danos por destruições cometidas durante invasão à Esplanada dos Ministérios

O governador afastado do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), pode ter de pagar pelos danos ao patrimônio da União, depredados pelos terroristas bolsonaristas que invadiram as sedes dos Três Poderes, no domingo. O Tribunal de Contas da União (TCU) avalia a possibilidade de realizar a cobrança, que se estende ao ex-secretário de Segurança Pública do DF, Anderson Torres, devido ao GDF não ter mobilizado contingente suficiente para evitar que os criminosos chegassem à Esplanada dos Ministérios.

Em ofício interno ao qual o Correio teve acesso, o subprocurador-geral do TCU Lucas Rocha Furtado, que integra o Ministério Público Federal, destacou que o Tribunal “possui competência para questões relacionadas às responsabilidades civil e administrativa”. “Não obstante, poderá atuar com órgãos que atuem em matéria de responsabilidade penal em eventual força tarefa que venha ser constituída”, salientou. O pedido do MPF foi enviado ao presidente do TCU, ministro Bruno Dantas. O requerimento seguiu para análise da área técnica da Corte.

Pesa contra Ibaneis e Torres — que tirava férias com a família nos Estados Unidos no momento dos ataques criminosos — a suspeita de terem subdimensionado a ameaça dos terroristas que invadiram e destruíram os prédios que compõem o conjunto arquitetônico da Praça dos Três Poderes. Horas antes de a depredação ter início, o secretário interino da SSP-DF, Fernando de Sousa Oliveira, confirmou, em mensagem de áudio enviada ao governador afastado, que a Polícia Militar estava escoltando o grupo de bolsonaristas que descia para a Esplanada e que estava “tudo tranquilo”. A resposta de Ibaneis foi “Maravilha”.

O esforço para identificar os responsáveis pelos atos de terrorismo é concentrado. Os vídeos das câmeras de segurança do Palácio do Planalto, por exemplo, estão sendo analisados sob sigilo. Há a desconfiança de que houve orientação de integrantes do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), uma vez que armas foram roubadas e os criminosos “sabiam muito bem onde procurá-las”, salientou uma fonte.

O Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos informou, ontem, por meio da assessoria, que segue acompanhando as informações sobre os danos causados nos prédios públicos que se encontram sob gestão do Executivo. A pasta disse que trabalha em parceria com órgãos dos demais poderes para identificar os danos e auxiliar na devida responsabilização dos autores dos atos criminosos.

 

Por: CorreioBraziliense
Esporteenoticia.com

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -
Google search engine

Most Popular

Recent Comments